terça-feira, março 06, 2012

Depois do telefonema eu choro sem fim.
É um lapso, eu sei, mas é um lapso de um telefonema que não deveria ter existido, de uma mensagem que não deveria ter sido enviada e mais ainda, não deveria ter sido respondida.
Quando se ama demais qualquer motivo é motivo de se desesperar, de perder o controle.
Foi hoje assim comigo.
Uma simples mensagem e meia hora depois lá estava eu, pedindo, humilhantemente, por um pouco de companhia, de contato, de atenção.
E por mais que ele diga que não me rejeitou, o sentimento que fica é esse.
Ele disse que titubeou umas 10x, pegou a chave do carro com uma mão e tirou com a outra, boicotando o encontro.
Enquanto eu fico aqui, feito uma otária esperando o interfone tocar, na esperança de que ele seja tão desequilibrado quanto eu e bata à minha porta.
E depois eu reclamo de ter sido feita de idiota.
O amor só é imprudente assim pra você, Fabiana.
Só pra você. Pros outros não.

2 comentários:

Georgia disse...

Oi! Vim pelo blog da Ju. Já passei por aqui outras vezes, embora nunca tenha comentado. Mas hoje, ao ler o seu post, me vi nas suas palavras... não é só para você que o amor é imprudente. Não mesmo.

Beijo!

Juliana Bastos disse...

Bom dia, flor do dia!!!